Blogs e Webcomics

Um movimento que vem acontecendo nos últimos tempos na blogosfera é a reunião de vários blogs sob um mesmo teto, formando um tipo de portal de blogs, como é o caso do Interney Blogs e do Blogamos. Mas uma coisa que percebi nesses coletivos de blogueiros é que nenhum deles possui um blog de quadrinhos.

E veja, não estou me referindo a blogs que falam de quadrinhos. Isso ambos possuem, apesar de não haver nenhum que fale exclusivamente desse assunto, como o Blog dos Quadrinhos. Na verdade, estou me referindo a blog que publicam quadrinhos.

Pensei em duas possibilidades para esse fato. 1) Os editores-chefes desses portais de blogs não gostam de quadrinhos. 2) Eles até gostam, mas não conhecem nenhum blog de quadrinhos com uma qualidade a altura de pertencerem ao seus portais.

Se a primeira opção for a correta, eu só devo lamentar pois eles devem ser pessoas bem infelizes. Mas se a opção for a segunda, acredito que eles não procuraram bem o bastante, pois tem surgido nos últimos tempos excelentes blogs de quadrinhos, como o Desvio de A Moraes e Jean Okada.

Aliás, estou gostando de ver que os quadrinistas brasileiros estão começando a apostar fortemente nas hqs onlines (ou webcomics), algo que os quadrinistas gringos já estão fazendo bem ( e ganhando dinheiro inclusive) desde o começo da década, e que agora inclusive começa a receber o investimento das grandes editoras como a DC Comics, com seu Zudacomics, e o Dark Horse Presents. Se antes por essas bandas só tinhamos um grande portal de quadrinhos online como a Nona Arte, agora vemos surgirem outros portais como o Webcomix e o Quantoon. Isso sem falar nos quadrinistas solitários, que antes se restringia praticamente ao André Dahmer e seus Malvados, e agora temos muitos outros mais, como o já citado Desvio.

Um dos motivos para esse crescimento dos webcomics, acredito, é utilização da “ferramenta” blog para a publicação, seja utilizando o bom e velho Blogger, ou novo e prático ComicPress. E eu espero que em 2008 o número de quadrinistas brasileiros fazendo webcomics aumente de forma exponencial, mostrando que publicar na Internet (e em blogs) pode ser tão viável quanto publicar numa revista impressa. E principalmente para o quadrinista independente, ambas são ótimas vias (tanto que exploramos as duas no Quarto Mundo).

E para ajudar os leitores a descobrirem essas webcomics tupiniquins, que vocês não encontraram nem em coletivos de blogs ou mesmo em grandes portais, pretendo aos poucos aqui no meu blog ir postando resenhas e comentários sobre as webcomics que ando lendo e o que de melhor eu encontrei por aí. Aguardem.

3 respostas para “Blogs e Webcomics”

  1. Obrigado pelo apoio que tem dado à nossa tira, cara. Sabe, eu realmente peguei gosto por essa coisa de produzir pra internet. Se depender de mim, faço só isso daqui pra frente. Tanto faz pra mim se alguma editora quiser publicar uma coletânea do meu trabalho no futuro. Acho que o "movimento" das webcomics no Brasil ainda é extremamente tímido, e senti isso na minha própria pele. Veja: eu não tenho a manha de escrever, por isso preciso sempre de roteirista; mas dos meus amigos roteiristas, só o Abs acreditou na idéia de produzir HQ pra internet. E foi daí que surgiu a nossa tira.

  2. Que os deuses(e os quadrinistas) te ouçam e comecem a pipocar inumeras webcomics a torto e a direito! Gostei da ideia de unir blogs sobre quadrinhos. Estava pensando em iniciar um blog tambem, mas preciso me organisar primeiro. Assim que ele estiver no ar eu te aviso.

  3. O que eu percebo é que muitos quadrinistas não publicam seus quadrinhos na Internet por considerarem menos "glamuroso" ou de menor prestígio do que publicar numa revista impressa. Ou mesmo aqueles que publicam dão menos valor a suas publicações na Internet do que no papel.

    Mas no fim, publicar virtualmente ou no papel é tudo a mesma merda. Ainda mais aqui no Brasil, onde a dificuldade de sobreviver de seus quadrinhos é igual para ambos os veículos. Mas esse tipo de pensamento, acredito, está mudando, sobretudo na geração mais nova de quadrinistas.

    E 2008 ao meu ver tem tudo pra ser o ano da virada para os quadrinhos nacionais, tanto na Internet, quanto na mídia impressa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.