Participação no Podcast Strippers

Podcast Strippers

Recentemente participei do podcast Strippers, do Digo Freitas, junto com o meu amigo e camarada do Petisco, Daniel Esteves.

O tema do podcast foi eventos de quadrinhos, e nós falamos sobre nossa experiência participando e vendendo nossas obras em eventos (e não só de quadrinhos) desde a década passada. Também comparamos a diferença entre os eventos de antigamente com os de hoje em dia.

Se você ainda não conhece o podcast Strippers, vale a pena também escutar os episódios anteriores, pois eles trazem bastante informação legal sobre esse nosso mundo dos quadrinhos, com convidados sempre interessantes.

Lançamento do Contos da Madrugada Extra

Lançamento do Contos da Madrugada Extra.

O projeto Contos da Madrugada idealizado por Felipe Meyer com a cumplicidade dos roteiristas Daniel Esteves, Cadu Simões (que sou eu, aliás) e, nesta nova edição, Rodrigo Febrônio, consiste em passar a noite fazendo quadrinhos e bebendo cerveja (nem todo mundo). A ideia é escolher um tema e trabalhar em cima, o da vez foi “versus”, “fulano contra sicrano”.

Para isso os malucos aí de cima mais os desenhistas: Sam Hart, Mario Cau, Hugo Nanni, Marcos Venceslau, Thiago Spyked, Will, Régis Coimbra e Pablo Carranza, produziram hq’s curtas sobre confrontos inusitados e lutas improváveis.

Contos da Madrugada Extra, em formato tabloide, papel jornal, 8 páginas, será lançado no próximo sábado, dia 19 de fevereiro de 2011, a partir das 16h, no Espaço Multiverso – Rua Cardeal Arcoverde, 422 (esquina com a Capote Valente) Pinheiros – (11) 2361-2201.

A edição conta com o apoio do programa HQ Além dos Balões e do próprio Espaço Multiverso.

Venha buscar seu exemplar que é gratuito.

Resoluções de Fim de Ano: Os Novos Projetos de Quadrinhos pra 2011

Este foi um ano em que publiquei muito pouco. Em compensação, produzi bastante. Isso se deve ao fato de que a maioria das HQs que escrevi em 2010 foram histórias longas, com mais de 100 páginas, o que torna mais difícil a publicação delas de forma independente. Mas agora em 2011 pretendo começar a correr atrás de desenhistas pras essas HQs, e tentar publicá-las (seja por editoras, ou de forma independente mesmo).

Em 2010 participei de vários eventos de quadrinhos, e não só em São Paulo, mas também em cidades como Florianópolis e Rio de Janeiro. Dei diversas oficinas sobre histórias em quadrinhos, principalmente sobre roteiro e webcomics, e também bati o recorde de venda das minhas HQs em eventos, mesmo tendo publicado pouca coisa nova (imagine então se eu tivesse conseguido publicar tudo que eu tinha planejado?).

Para o começo de 2011 pretendo enfim publicar a edição nº 100 do Homem-Grilo que eu deveria ter publicado no fim deste ano, mas que por uma série de contra-tempos, acabou sendo adiada. Também pretendo retomar a publicação de Nova Hélade, que ficou parada devido ao meu trabalho nessas outras HQs longas que citei no começo.

Mas o meu principal projeto para 2011 será um coletivo de webcomics que estou montando junto com o Will e o Esteves, nos moldes de coletivos já existentes, como os norte-americanos do ACT-I-VATE e do Transmission X, e os argentinos do Historietas Reales.

A ideia é ter nesse nosso coletivo 7 séries em quadrinhos sendo produzidas por diferentes quadrinistas que serão publicadas online com cada uma delas tendo uma página atualizada por semana. Ou seja, teríamos em cada dia da semana sempre uma nova página de uma das nossas séries sendo publicada.

O nome desse nosso coletivo de webcomics será Petisco, pois a ideia é justamente que nossos quadrinhos sejam apreciados em pequenas porções semanais, assim como eram os quadrinhos publicados nos suplementos dominicais dos jornais no começo do século XX. Aliás, é interessante que o modelo de publicação das webcomics são muito parecidos com a desses quadrinhos publicados em jornais, ou seja, publica-se a série aos poucos, seja em tiras diárias ou páginas semanais, e depois reúne-se esse material para ser publicado num único álbum. E hoje em dia esses álbuns reunindo o material publicado online podem ser feitos sob demanda, assim, não há custos pro quadrinista com estoque. No momento da compra, essa unidade é impressa, e sai da gráfica direto pra casa do comprador.

Quero ver se com o Petisco eu consigo colocar em prática alguns do mais novos modelos de publicação e comercialização de quadrinhos digitais que existe. Era algo que eu gostaria de já ter posto em prática no Quarto Mundo, quando ainda fazia parte do coletivo, mas que por uma série de fatores acabou não acontecendo. E principalmente porque o foco do Quarto Mundo são quadrinhos impressos e não os quadrinhos digitais.

Mas em tempos de Ipad, Galaxy, entre outras tablets, não vejo mais sentido no quadrinista se restringir apenas a publicação de quadrinhos impressos. O mercado de quadrinhos digitais já são uma realidade, e se bem explorados, podem ser bem lucrativos. E é esse novo mercado em expansão que pretendemos atingir com o Petisco.

Ainda não tenho como confirmar todos os quadrinistas que farão parte do Petisco, pois ainda estou aguardando resposta aos convites que fiz. Mas espero já estar com o site do Petisco funcionando em janeiro, e com algumas das séries que farão parte do coletivo já sendo publicadas (dos quais eu já posso confirmar a Nanquim Descartável do Daniel Esteves e a minha Nova Hélade).

Bem, então é isso. Desejo a todos um bom 2011 repleto de quadrinhos, e principalmente quadrinhos onlines. =)