O Mochileiro e sua Toalha

Atenção Mochileiros! Como vocês sabem (ou deveriam saber!), hoje é o dia da toalha. E não bastasse isso, hoje também é comemorado 30 anos da estréia do primeiro (que na verdade é o quarto) nos cinemas. Ou seja, é realmente um dia muito especial para os nerds do mundo todo.

Cadu e sua Toalha

Eu nunca saio de casa sem a minha toalha! =)

Stan Lee em Heroes e Vogons em Lost

Stan Lee em Heroes

Não bastasse o velhinho ser arroz de festa em todos os filmes de seus personagens, agora Stan Lee toma de assalto também a série Heroes. E ainda por cima contracenando com o meu personagem favorito, o carismático nerd-trekker Hiro.

Este último episódio, Unexpected, foi muito bom, certamente um dos melhores até agora. A começar por Peter Petrelli demonstrando total auto-controle sobre seu poder. Aliás, mas alguém aí notou uma certa semelhança entre o Cloude, o “homem-invisível” que está treinando Petrellli, com o Stick, mestre do Demolidor? Ainda mais depois daquela cena dele lutando com o bastão. E levando em consideração que o roteirista deste episódio é ninguém menos que Jeph Loeb, que escreveu Demolidor Amarelo, entre outras Hqs de destaque, não podemos alegar que foi apenas uma coincidência.

Lost continua ladeira abaixo. O episódio desta semana focado em Jack, Stranger in a Strange Land, conseguiu ser um dos piores, senão o pior, de toda a série. E olha que o episódio da semana anterior, Flashes Before Your Eyes, foi bonzinho e conseguiu ficar acima da média desta terceira temporada (o que também não é muito difícil). Cheguei até pensar que Lost finalmente iria dar uma guinada de 180° e sair da fossa em que está, mas foi puro engano.

Estou começando a achar que a única salvação pra Lost é os roteirista colocarem uma frota de naves vogons chegando na ilha. Já imagino até o comandante Vogon anunciando pelo sistema de som de sua nave: “Atenção, passageiros do vôo 815. A sua ilha foi requisitada pelo conselho de planejamento do hiperespaço galáctico para a construção de uma via expressa hiperespacial e, portanto, será demolida. Muito obrigado e tenham um bom dia”. Vocês hão de concordar comigo de que isso daria uma chacoalha legal na série. E eu acho que não estou viajando tanto assim. Percebam que não há nenhum golfinho nas redondezas da ilha. =)

So Long and Thanks for All the Fish

Link: http://www.youtube.com/watch?v=l23Y3NwHS7Q

Já chega! Cansei deste planetinha insignificante e de seus seres humanos hipócritas, arrogantes e egoístas. Vou me embora com os golfinhos. Então, até mais, e obrigado por todos os peixes!

“So long and thanks for all the fish
So sad that it should come to this
We tried to warn you all but oh dear

You may not share our intellect
Which might explain your disrespect
For all the natural wonders that grow around you
So long so long and thanks for all the fish

The world’s about to be destroyed
There’s no point getting all annoyed
Lie back and let the world dissolve around you

Despite those nets of tuna fleets
We thought most of you were sweet
Especially tiny tots and your pregnant women

So long so long, so long so long, so long so long, so long so long
So long so long, so long so long, so long so long, so long so long
So long so long and thanks for all the fish

If I had just one last wish
I would like a tasty fish
If we could just change one thing
We would all have learnt to sing

Come one and all
Man and mammal
Side by side in life’s great gene pool

So long so long, so long so long, so long so long, so long so long
So long so long, so long so long, so long so long, so long so long
So long so long and thanks for all the fish”

Golfinhos

“É um fato importante, e conhecido por todos, que as coisas nem sempre são o que parecem ser. Por exemplo, no planeta Terra os homens sempre se consideraram mais inteligentes que os golfinhos, porque haviam criado tantas coisas – a roda, Nova York, as guerras, etc. -, enquanto os golfinhos só sabiam nadar e se divertir. Porém, os golfinhos, por sua vez, sempre se acharam muito mais inteligentes que os homens – exatamente pelos mesmos motivos.

Curiosamente, há muito que os golfinhos sabiam da iminente destruição do planeta, e faziam tudo para alertar a humanidade; porém suas tentativas de comunicação eram em geral interpretadas como gestos lúdicos com o objetivo de rebater bolas ou pedir comida, e por isso eles acabaram desistindo e abandonaram a Terra por seus próprios meios antes que os vogons chegassem.

A derradeira mensagem dos golfinhos foi entendida como uma tentativa extraordinariamente sofisticada de dar uma cambalhota dupla para trás assobiando o hino nacional dos Estados Unidos, mas na verdade o significado da mensagem era: Até mais, e obrigado por todos os peixes.

Dancem Macacos, Dancem!

Confiram este sensacional vídeo que narra de forma irônica e sarcástica a verdadeira essência do ser humano. O mais interessante desse vídeo é que o discurso que ele segue é algo bem parecido com que o Douglas Adams adota com relação a humanidade em O Guia do Mochileiro das Galáxias. Ou seja, não passamos de um bando de macacos idiotas. Inteligente mesmo são os golfinhos. =)

E seguindo na mesma linha, tem essa animação Humans! que relaciona os homens aos parasitas. Ambas dicas do Ovelha Elétrica.