Oficinas de Quadrinhos no SESC Ribeirão Preto

UMQDHQ! 2012

Neste mês de julho eu irei ministrar duas oficinas no SESC Ribeirão Preto, como parte do evento UMQDHQ!.

A primeira das oficinas, que será realizada no próximo fim de semana, dias 7 e 8, das 14h às 17h, será a de Webcomics & Quadrinhos Digitais. É a mesma oficina que eu já havia ministrado lá no SESC Ribeirão Preto no ano passado, mas desta vez ela terá um dia a mais, o que irá me permitir desenvolver melhor os temas abordados.

A segunda oficina se chama Como Escrever Histórias Originais Utilizando Clichês, e será ministradas nos dias 21 e 22, também das 14 às 15h. Eu já ministrei essa oficina antes na Quanta Academia, e em eventos como a Maratona Devir e o Encontro Internacional de RPG. A proposta dela é mostrar que uma história não precisa ser necessariamente original para ser boa (e, afinal, existe história original?). Assim, irei mostrar como usar estruturas narrativas e arquétipos presentes em histórias tão antigas quanto a própria humanidade para criar a suas próprias histórias a partir de sua própria vivência.

Além das minhas oficinas, o evento UMQDHQ! trará diversas outras oficinas relacionadas a quadrinhos no SESC Ribeirão Preto.

Oficina de Webcomics no Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso

No próximo dia 14, quinta-feira, às 16h, irei ministrar uma oficina de Webcomics no Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso. Essa oficina faz parte de uma série de atividades relacionadas a quadrinhos que está acontecendo no CCJ, e estão sendo organizadas pelo Gazy Andraus.

Como é típico na minhas oficinas de webcomics, essa também será voltada tanto aos quadrinistas iniciantes que estão começando seus primeiros quadrinhos e escolheram a Internet como porta de entrada (e aliás, não existe meio mais fácil pra começar) quanto aos profissionais que já publicam quadrinhos de forma impressa, mas gostariam de adentrar também a esse universo dos quadrinhos digitais.

Eu início a oficina dando um histórico de como houve a migração dos quadrinhos pra Internet, e também um panorama geral de como está o mercado atual de webcomics e quadrinhos digitais ( e está cada vez mais aquecido com a popularização das Tablets).

Em seguida abordo a parte da produção da webcomics em si, separando-a em três tópicos: primeiro mostrarei as principais ferramentas de publicação na Internet (também conhecidos pela sigla SGC – Sistema de Gestão de Conteúdo), desde as genéricas como o Blogger e o Tumblr, até as criadas especificamente para webcomics, como é o caso do ComicPress para o WordPress (que aliás, é o que eu uso em meus blogs).

Em segundo, falarei sobre as principais formas de divulgação de sua webcomics, seja usando sistemas pagos de propaganda na Internet, como o AdWords, seja através de um uso eficiente das redes sociais, como Twitter, Orkut e Facebook.

E em terceiro, abordarei como monetizar e ganhar dinheiro com sua webcomics, que pode ser feito basicamente de três modos; através de banners de propaganda como o AdSense e o boo-box; por merchandising, vendendo produtos relacionados a seus quadrinhos, como camisetas, chaveiros e canecas, em uma loja virtual disponível no próprio site de sua webcomics; ou através da venda direta de seus quadrinhos, seja a versão virtual, em tablets, celulares e demais dispositivos móveis, seja uma versão impressa dela feita em gráfica sob demanda.

Por fim, também irei abordar na minha oficina assuntos relacionados ao direito autoral, pirataria e licenças livres como a Creative Commons, que estão intimamente relacionadas a publicação de conteúdo na Internet, como é o caso das Webcomics.

Essa oficina é gratuita, mas são apenas 15 vagas, então corra já reservar a sua. =)

Evento de Quadrinhos Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso

Relatório Rio Comicon 2010

Estande do Quarto Mundo na Rio Comicon.
Estande do Quarto Mundo na Rio Comicon.

Adorei a semana em que estive no Rio participando da Rio Comicon. Apesar de todas as falhas que o evento teve (muitas, compreensíveis, presentes em qualquer evento de grande porte), posso considerar que, ao menos pra mim, o saldo final do evento foi positivo em diversos fatores.

Viajei para o Rio de Janeiro junto com Daniel Esteves e com o Will, e todos nós ficamos hospedados na casa da Ana Recalde (e valeu novamente pela hospedagem, Aninha, que Zeus Xenios, considerados pelos antigos gregos como o patrono dos viajantes e dos que hospedam os estrangeiros, te proteja!). Como havia dito no meu último post, fui para a Rio Comicon para vender meus quadrinhos no estande do Quarto Mundo (apesar de não mais fazer parte do coletivo, me foi cedido vender meus quadrinhos no estande deles, e em troca eu trabalhei na administração do estande e colaborei vendendo as demais revistas do Quarto Mundo, que afinal, é algo que eu já fazia quando ainda era do coletivo). E posso dizer que bati todos os recordes de vendas nessa Rio Comicon, sendo que algumas das revistas, bottons e chaveiro que eu levei se esgotaram completamente. E o mesmo pode ser dito de todo o estande do Quarto Mundo, que vendeu bastante, mesmo das revistas mais antigas, mas que, ao que parece, ainda não eram tão conhecidas do público do Rio, fazendo com que mesmo essas revistas ainda fossem novidades pra eles.

Também ministrei duas oficinas lá na Rio Comicon. A primeira, que já estava na programação oficial, foi sobre Webcomics, e estava lotada. Não esperava que tanta gente fosse se interessar pelo tema (em geral as oficinas mais concorridas costumam ser as de temas mais básicos, como roteiro ou desenho). A sala da oficina estava tão cheia, que algumas pessoas tiveram que se sentar no chão. E alguns, infelizmente, acabaram ficando sem a apostila da oficina, pois a organização do evento não havia impresso exemplares extras.

E quase que uma falha na conexão com a Internet do meu EeePc acabou estragando a oficina, mas graças a ajuda do quadrinistas Marcos Noel, que estava assistindo a minha oficina e cedeu gentilmente o seu notebook para que pudesse usar no lugar do meu, tudo ocorreu como programado e eu consegui mostrar todos os exemplos e sites de webcomics que eu queria. No fim, pelos comentários que recebi, apesar de básica, a oficina se mostrou bem proveitosa para galera, e ajudou mesmo aqueles que já estavam publicando suas webcomics e já tinham alguma experiência no assunto.

Cadu Simões ministrando uma oficina de webcomics na Rio Comicon.
Oficina de Webcomics.

Outra oficina que ministrei foi a de Fanzine. Originalmente era para essa oficina ser ministrada pelo Marcos Venceslau, mas como ele não pode ir, eu e o Will acabamos substituindo ele. Aqui a pegada já foi bem diferente da oficina de webcomics, e abandonamos completamente o computador e as novas tecnologias, e focamos no bom e velho fanzininho feito de papel. Ensinamos a galera como se montar o boneco de um fanzine simples, e também como dobrar, cortar, e as melhores formas de reproduzir e fazer cópias (como mimiógrafo, xerocs, impressão a laser, etc). Essa oficina de fanzine não tinha tanta gente, ainda mais se comparada com a de webcomics, mas isso foi bom, pois assim deu para dar mais atenção a cada aluno individualmente, e também fazer eles botarem a mão na massa, e ao final da oficina, cada um saiu com seu próprio fanzine prontinho pra ser copiado e vendido.

Muito se comentou sobre a falta da participação das editoras na Rio Comicon. Eu já imaginei que isso fosse ocorrer devido ao histórico de não participação das editoras em eventos de quadrinhos pelo Brasil, como tem, por exemplo, ocorrido com o FIQ, evento realizado pela mesma equipe de pessoas que organizaram a Rio Comicon. Salvo raras exceções, a maioria das editoras, e seus editores, não possuem o hábito de estarem presentes nesses eventos com estandes, para que possam vender seus quadrinhos diretamente aos seus leitores (de preferência com desconto, já que no evento pode ser reduzido do preço de capa todos os custos com distribuidoras, livreiros, entre outros intermediários) e também atender aos quadrinistas interessados em apresentar seus projetos e portfólios a essas editoras.

Na seção de comentários do Blog do Universo HQ, sobre a crítica da Rio Comicon feita pelo Sidão e pelo Delfin, o Roberto Ribeiro, principal mentor do evento, respondeu que entrou em contato com as editoras de quadrinhos e encontrou dificuldades em convencê-las em participar da Rio Comicon (e ele ressalta que o mesmo já havia ocorrido com o FIQ, como salientei acima). Roberto disse que o principal motivo da não participação das editoras é uma desconfiança no potencial comercial de eventos do gênero. Se for esse mesmo o motivo, é uma pena, pois mostra como os editores possuem uma visão estreita. Não adianta os editores reclamarem do mercado de quadrinhos, se eles mesmo não investem no seu crescimento, e participar de eventos é uma boa forma de se fazer isso.

Até o momento a única resposta que houve a esse comentário do Roberto por parte de uma editora foi da Cia da Letras, em um comentário deixado também no Blog do Universo HQ pela Diana, que cuida da parte de redes sociais da Cia das Letras. Diana diz nesse comentário que a editora entrou em contato com a Rio Comicon diversas vezes perguntando sobre quais eram as possibilidades para a Cia da Letras montar um estande próprio no evento, e segundo ela, diversas vezes a organização respondeu que ia passar a eles essas informações, mas nunca passou. Aliás, se eu não engano, a Cia das Letras era a única editora que possuía estande próprio no FIQ do ano passado, e por já terem mostrado efetiva participação num evento de quadrinhos, foi uma grande falta não termos um estande deles também na Rio Comicon.

É uma pena que as outras editoras também não tenham se pronunciado a respeito da ausência delas na Rio Comicon, pois assim ficamos sem o lado delas da história, e ficamos sem saber se isso ocorreu de fato por descaso com o evento por parte delas, ou se houve falha de comunicação por parte da organização, como parece ter ocorrido no caso da Cia das Letras.

Cadu Simões autografando uma edição da revista do Homem-Grilo.
Autografando a revista do Homem-Grilo.

Mas se a organização do evento e as editoras parecem estar batendo cabeças, os quadrinistas ao menos estão fazendo suas partes e muitos deles participaram da Rio Comicon, seja com estandes próprios ou vendendo seus quadrinhos de mão em mão mesmo. Isso, aliás, é algo que também já vinha ocorrendo no FIQ, e se intensificou ainda mais na Rio Comicon. Como disse o Gabriel Bá em seu blog, somente o contato direto entre o autor e o público é que realmente pode consolidar o mercado nacional de quadrinhos. E a participação dos quadrinistas na Rio Comicon foi uma amostra disso.

Ao que tudo indica, a Rio Comicon será anual, então já teremos uma outra edição do evento em 2011. E segundo o Roberto Ribeiro, também haverá mais uma edição do FIQ em novembro do ano que vem. Ou seja, para 2011 já temos confirmados ao menos dois eventos internacionais de quadrinhos sendo realizados no Brasil. Isso sem contar com o boato que tenho ouvido de que São Paulo também sediará uma Comic Con no ano que vem (mas ao que parece, esse evento não será organizado pela mesma equipe do FIQ e da Rio Comicon). E quanto mais eventos de quadrinhos tivermos pelo Brasil melhor será, pois isso só contribui para o crescimento do mercado brasileiro. De minha parte, tentarei estar presente na maior quantidade de eventos que puder, pois adoro estar em contato direto com meus leitores, e saber diretamente da boca deles o que eles acham do meus quadrinhos.

Pra finalizar, segue abaixo alguns links de outras análises e relatos feito por outras pessoas sobre a Rio Comicon:

  • Gibizada: O Télio Navega e a Lívia Brandão fazem um balanção geral da Rio Comicon. Aliás, vale dar uma olhada nos outros posts do Gibizada sobre o evento, pois ele fizeram uma cobertura bem completa.
  • Daniel Gnattali: Divertido relato sobre a Rio Comicon feito em quadrinhos por Daniel Gnattali (algo parecido com as coberturas em quadrinhos da Campus Party que eu e o Gil Tokio fizemos).
  • Quadrinhos pra Quem Gosta: Um detalhado relato de todos os dias da Rio Comicon feito por Gabriel Guimarães, incluindo até mesmo as oficinas, como a minha de webcomics.
  • Dimensão X: Outro relato bem legal da Rio Comicon feita pelo Ygor, que inclusive comprou algumas revistas minhas – e espero que ele tenha gostado. =D
  • Denis Mello: Como foi a Rio Comicon sob o ponto de vista do quadrinista Denis Mello, que estava lá no evento com um estande vendendo suas HQs .
  • Uarévaa: Mais outro divertido relato da Rio Comicon, feito pelo Julio (vulgo Freud), e que também adquiriu uma edição da revista do Homem-Grilo – provavelmente pra forrar a casinha do cachorro dele. =)
  • The Beat: Um extensivo relatório da Rio Comicon feito por Jeff Newelt, um dos membros do ACT-I-VATE, coletivo de webcomics que foi uma das minhas inspirações na criação do Quarto Mundo.

É isso aí cambada, até o próximo evento de quadrinhos. ;D

Oficina de Webcomics na Rio Comicon

Cartaz da Rio Comicon por Milo Manara.

Enquanto não consigo ir nos grandes eventos internacionais de quadrinhos, como a San Diego Comicon, o Festival de Angoulême, e o Festival de Amadora, estou ao menos conseguindo ir nos grandes eventos de quadrinhos realizados pelo Brasil. Só esse ano já fui à Anime Dreams, SP Comic Fair, HQCon e Fest Comix. E o próximo evento na agenda é a Rio Comicon, que acontece entre 9 à 10 de novembro, na Estação Leopoldina, na cidade do Rio de Janeiro.

Irei ministrar uma oficina sobre webcomics na Rio Comicon, no dia 10 de novembro, das 18h às 19h30. Essa oficina é voltada tanto aos quadrinistas iniciantes quanto aos profissionais que já publicam quadrinhos de forma tradicional há tempos, mas gostariam de adentrar também a esse universo dos quadrinhos digitais. A minha ideia com essa oficina é dar um panorama geral de como está o mercado de webcomics e quadrinhos digitais hoje em dia, além de mostrar as melhores formas e ferramentas pra se publicar quadrinhos onlines. E principalmente, irei mostrar quais são os principais modelos de negócios para se ganhar dinheiro publicando webcomics.

Além dessa oficina, também estarei todos os dias do evento no estande do Quarto Mundo vendendo minhas histórias em quadrinhos, como o Homem-Grilo e Nova Hélade, entre outras.

Se você me ver andando pela Rio Comicon, dê uma alô. Adoro conhecer meus leitores e bater um papo, pois aprendo muito com vocês. E isso faz com que eu produza histórias em quadrinhos cada vez melhores. =)

Para quem não for, vou tentar na medida do possível (não sei exatamente se terei acesso a Internet lá do evento) manter vocês atualizados através do meu twitter sobre o que anda rolando na Rio Comicon.

E pra quem for, vejo vocês lá! =D

Os Vencedores do 22º Troféu HQMix

Troféu HQMix - Astronauta de Maurício de Sousa

Nesta quarta-feira, 6 de outubro, será realizado no Teatro do Sesc Pompéia (Rua Clélia 93, Lapa – São Paulo), a entrega do 22º Troféu HQMix. Para quem não conhece, esse é considerado o mais importante prêmio do mercado de quadrinhos Brasileiros, premiando diversas obras e quadrinistas (e eu mesmo já ganhei uma vez, como roteirista revelação, mas infelizmente esse ano não ganhei nada).

A cerimônia de entrega começa às 20h e tem entrada franca, mas você deve chegar uma mais cedo para garantir seu ingresso na bilheteria do Sesc. A apresentação, como sempre, será de Serginho Groisman, e este ano também teremos participações especiais do Comédia Canibal, com Rogério Vilela e Rudy Landucci.

Todo ano o troféu muda para homenagear algum personagem dos quadrinhos nacionais, e o o homenageado deste ano é o Astronauta, de Maurício de Souza.

Confira abaixo a lista dos premiados:

Adaptação para os quadrinhos – “Jubiabá de Jorge Amado” / Spacca.

Adaptação para outro veículo – “Los Três Amigos” / Daniel Messias, Estúdio Iéio.

Articulista – Sérgio Codespoti / UniversoHQ.

Caricaturista – Fernandes.

Cartunista – Airon.

Chargista – Angeli.

Desenhista Estrangeiro – Craig Thompson / “Retalhos”.

Desenhista Nacional – Marcelo Quintanilha / “Sábado dos Meus Amores”.

Desenhista Revelação – Gustavo Duarte.

Destaque Internacional – Ivan Reis.

Edição Especial Estrangeira – “Gênesis” / Robert Crumb.

Edição Especial Nacional – “MSP50 – Maurício de Sousa por 50 Artistas”.

Editora do Ano – Companhia das Letras.

Evento – 6º Festival Internacional de Quadrinhos de BH / Prefeitura de BH e Casa 21.

Exposição – Batman 70 anos / Ivan Freitas da Costa.

Grande Contribuição – ProAc (Programa de Ação Cultural do governo de SP).

Grande Mestre – Laerte.

Homenagem Especial – Art & Comics / Hélcio de Carvalho e Joe Prado.

Homenagem Especial – Maria Ivete Araújo (Zetti).

Ilustrador Nacional – Samuel Casal.

Livro Teórico – “A Leitura dos Quadrinhos” / Paulo Ramos.

Mestrado – Mariana Vaitiekunas Pizarro / “Histórias em quadrinhos e o ensino de ciências nas séries iniciais: estabelecendo relações para o ensino de conteúdos curriculares procedimentais”.

Mídia sobre Quadrinhos – “UniversoHQ”.

Projeto Editorial – “MSP50 – Maurício de Sousa por 50 Artistas”.

Publicação de Aventura/Terror/Ficção – “J. Kendall – As Aventuras de uma Criminóloga”.

Publicação de Caricaturas – “50 Razões para Rir” / Toni D’Agostinho.

Publicação de Cartuns – “Sem Palavras” / Samuca.

Publicação de Charges – Salão de Humor da Anistia / Senado Federal.

Publicação de Clássico – “Peanuts Completo: 1950 a 1952” / Charles M. Schulz, L&PM.

Publicação de Humor – “É Tudo Mais ou Menos Verdade – Jornalismo investigativo, tendencioso e ficcional” / Allan Sieber.

Publicação de Tiras – “Níquel Náusea – Um Tigre, Dois Tigres, Três Tigres” / Fernando Gonsales.

Publicação Erótica – “Verão Índio” / Milo Manara.

Publicação Independente de Autor – “Nanquim Descartável” / Daniel Esteves.

Publicação Independente de Grupo – “Café Espacial” / Sergio Chaves e Lídia Basoli.

Publicação Independente Edição Única – “Có!” / Gustavo Duarte.

Publicação Infantil/Juvenil – “Turma da Mônica Jovem” / Mauricio de Sousa.

Publicação Mix – “MSP50 – Maurício de Sousa por 50 Artistas”.

Roteirista Estrangeiro – Chris Ware / “Jimmy Corrigan, o Menino mais Esperto do Mundo”.

Roteirista Nacional – André Diniz.

Roteirista Revelação – Alex Mir.

Salão e Festival – Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro.

Tira Nacional – Malvados / André Dahmer.

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) – Adriano Di Benedetto / “As Histórias em quadrinhos e o cinema: as artes irmãs”.

Web QuadrinhosDinamite & Raio Laser / Samuel Fonseca.

HQMix 2010

Então, vejo vocês lá na cerimônia de entrega do Troféu HQMix. =)