Relatório Zine Osasco

Zine Osasco.

Eram nove horas da manhã quando cheguei na Biblioteca Municipal de Osasco no último sábado, dia 25 de novembro, para preparar os últimos detalhes do Zine Osasco, que iria começar às dez horas.

O Zine Osasco é um evento sobre fanzines e quadrinhos independentes cujo objetivo é servir como um ponto de encontro entre fanzineiros, quadrinhistas e leitores para trocar idéias e discutir sobre a produção de quadrinhos e o mercado nacional, além de divulgar o trabalho dos quadrinistas iniciantes, incentivando-os a produzirem cada vez mais para assim melhorarem suas habilidades e perícias na confecção de uma história em quadrinhos.

O evento foi formatado da seguinte maneira: uma exposição dos fanzines inscritos que iram compor o novo acervo de fanzines da Biblioteca; uma exposição de ilustrações cujo tema desta primeira edição do evento foi mitologia grega; e por fim, uma série de palestras com temas pertinentes a produção independente.

A primeira palestrante do dia foi Beth Kodama, substituindo a Elza Keiko, que não pôde comparecer. Beth deu dicas e noções básicas sobre edição e diagramação de uma revista para os presentes, além de contar a sua experiência pessoal como fanzineira com os fanzines Kanetsu e Ethora Especial. Para aqueles que sempre quiseram fazer um fanzine, mas não tinham muita noção de como, a palestra da Beth foi bem enriquecedora.

Após uma pequena pausa para o almoço, foi à vez de Zé Oliboni, editor do site Pop Balões, dar a sua palestra sobre quadrinhos na Internet. Zé contou a experiência que ele está tendo com a publicação de quadrinhos no seu site, e também sobre outras experiências bem sucedidas de sites que publicam quadrinhos online, como a Nona Arte de André Diniz, e o Quantoon, da Quanta Academia.

Oliboni destacou a importância da Internet como um ótimo meio de divulgação para os quadrinista, mas ressaltou que eles devem pensar mais em fazer quadrinhos adaptados a Internet ao invés de ficarem presos aos padrões das hqs impressas, já que na Internet é possível ousar mais neste aspecto, pois não há as limitações do formato do papel.

A última palestra do Zine Osasco foi realizado por Eloyr Pacheco,Will, Leonardo Pascoal, e Caio Majado. A palestra começou com cada um deles contando um pouco das experiências pessoais na área de quadrinhos e apresentando seus respectivos trabalhos.

Depois foi a vez deles falarem um pouco da revista em quadrinhos A Mosca no Copo de Vidro e Outras Histrórias que eles produziram juntos. Então começou-se a discutir sobre a crescente produção independente de quadrinhos no Brasil. O consenso que se chegou com essa discussão é que a produção independente é extremamente importante para a criação futuramente de um mercado de quadrinhos nacional consistente, estável e extremamente profissional.

Mas para que isso seja possível, é preciso que haja uma conscientização dos quadrinistas de que este mercado só se tornara uma realidade a partir da iniciativa deles mesmos, que devem produzir cada vez mais, ao invés de ficarem parados esperando que as editoras os publiquem.

E felizmente este é um movimento que já está acontecendo, e espero que a produção independente cresça cada vez mais a ponto de chamar a atenção dos leitores de quadrinhos, cuja grande maioria ainda não faz nem idéia da existência deste cenário independente no Brasil.

O 1º Zine Osasco deu um passo nesta direção, uma pequena contribuição para que o leitor possa tomar conhecimento de tudo isso e também interagir de perto com os quadrinhistas independentes.

Por fim, posso dizer que os saldos do 1º Zine Osasco foram positivos. Gostaria de agradecer aos convidados que gentilmente aceitaram dar as palestras e principalmente, aos fanzineiros que participaram ativamente do evento. Sem vocês, ele não teria sido possível. Valeu!

Relatório HQ Mix 2006

Um pouco atrasado, mas vamos aos meus pareceres sobre a entrega do 18º Troféu HQ Mix que rolou na terça-feira passada.

Bem, a coisa toda já começou pra mim antes da premiação, pois passei a tarde toda junto com meus amigos Harriot e Ingrid dobrando, refilando e grampeando cerca de mil folhas, com uma prévia da Garagem Hermética contendo a hq Onde estão os Tatus-Bolinhas?, que seria entregue mais tarde durante a premiação junto com uma bala dadinho. Foi um trabalho cansativo, depois de terminado eu estava parecendo o em Tempos Modernos, só que ao invés de ficar repetindo o movimento de apertar parafusos, eu estava grampeando qualquer coisa que eu via pela minha frente. Depois dessa estou até pensando em inaugurar uma nova arte-marcial, o Fan-zine-dô. Sabe, as pessoas pensam que dobrar e grampear fanzine se limita apenas a um trabalho repetitivo, mas tem toda uma filosofia e uma sabedoria ancestral envolvida junto. E depois com mais uns cem mil fanzines dobrados, tenho certeza que chegarei a iluminação.

Mas no fim, todo o trabalho que tivemos foi recompensado, pois a estratégia de marketing de distribuir a HQ com uma bala dadinho deu muito certo e chamou muita a atenção das pessoas que foram à premiação. Teve gente que até voltou pra pegar mais só por causa da bala dadinho. E depois quando eu falo que quadrinhista é tudo morto de fome as pessoas não acreditam em mim. O Van Gogh chegou até a subornar um dos seguranças com uma bala dadinho, pra poder permanecer na área “restrita” ao lado do palco. Incrível!

O melhor do HQ Mix é a social que você pode ter com os outros quadrinhistas, principalmente com a galera fanzineira, que indiferente da situação do mercado de quadrinhos nacional (se é que ele realmente existe) não deixa de produzir quadrinhos constantemente. Nesse HQ Mix tive a oportunidade de conhecer o Renato Lima, um dos editores da Mosh, que é super gente fina e até me presenteou com um exemplar da edição nº 12 da Mosh (que infelizmente será o último da revista) e o Leo Finocchi, que também participa da Mosh, além de colaborar pro MDM (o site de quadrinhos mais engraçado da net). E finalmente também conheci pessoalmente o Lorde Lobo, o editor da Areia Hostil, em cuja edição nº 11 foi publicada uma hq do Homem-Grilo.

E como não podia deixar de ser, tinha muita gente lá também vendendo seus fanzines e hqs independentes. Eu estava muito interessado em comprar a nova hq dos gêmeos Fábio Moom e Gabriel Bá, Um Dia, uma Noite. Mas depois que vi o preço, acabei desistindo. Cinco reais por uma revista de 24 página p/b e capa duas-cores é muito caro. Pelo jeito os gêmeos esqueceram que quadrinhos é cultura de massa, e portanto deve ser não apenas bom, mas também BARATO. Preferi gastar esses cinco reais com a nova edição da Quadreca e não me arrependi. São 74 páginas internas, sendo que algumas delas são coloridas, e a qualidade das histórias não devem em nada a dos gêmeos. Outro fanzine que comprei e curti muito foi o Comic Sans da Gabriela Kato, que traz uma hq curtinha, mas muito divertida. Quando comecei a ler a história, logo pensei: “puxa, mas uma hq fofinha com final feliz, que droga!”. Mas logo que virei a página, vi que estava errado, pois a história se transfigura pra um humor negro sensacional. Só sei que passei horas afins rindo dessa hq. E pra completar, o fanzine ainda traz na última página uma tira do Leonardo Pascoal, onde ele manda muito bem mostrando o que é realmente acreditar no amor e na amizade. =)

E ainda troquei e ganhei um monte de outros fanzines, como a última edição da Manicomics, a edição especial do Subterrâneo, e a versão “mini” do fanzine No Fio Fó Todo Dia.

Bem, no fim o evento foi muito proveitoso. Ano que vem tem mais. E quem sabe, eu talvez até esteja concorrendo com a Garagem Hermética. Sonhar não custa nada, não é? =)

Vencedores do 18º HQ Mix

Saiu a lista dos vencedores do Troféu HQ Mix deste ano. Cofiram:

Adaptação para outro veículo
Sin City – A Cidade do Pecado

Álbum de aventura
Tintim – Os Charutos do Faraó (Companhia das Letras)

Álbum infantil
Turma do Xaxado – Pelourinho em quadrinhos (Independente)

Animação
Vinhetas Nacionais Cartoon

Blog/Flog
Gabriel Bá e Fábio Moon (http://10paezinhos.blog.uol.com.br)

Caricaturista
Baptistão

Cartunista
Spacca

Chargista
Angeli

Desenhista estrangeiro
Milo Manara ( Bórgia )

Desenhista Nacional
Spacca

Desenhista revelação
Julia Bax ( Kaos e Quebra Queixo )

Edição especial estrangeira
Maus ( Cia das Letras )

Edição Especial nacional
Santo e os Pais da Aviação ( Cia. Das Letras )

Editora do ano
Conrad

Evento
Festival Internacional de Quadrinhos, Belo Horizonte/MG

Exposição
Henfil do Brasil- CCBB

Fanzine
Manicomics

Ilustrador
Orlando

Ilustrador de livro Infantil
Cárcamo ( Os amantes do Lago Rotorua e A fantasia do Urubu Beleza

Jornalista especializado
Sidney Gusman

Livro Teórico
Narrativas Gráficas, DE Will Eisner (Devir)

Minissérie
Superman-Identidade Secreta ( Panini )

Projeto Editorial
Cidades Ilustradas ( Casa 21)

Projeto Gráfico
Coleção Cidades Ilustradas –Salvador e Belém ( Casa 21)

Prozine
Areia Hostil

Publicação de cartuns
Sem Comentários de Allan Sieber ( Casa 21)

Publicação de charges
Diabo Coxo ( Edusp)

Publicação de Clássicos
Maus ( Cia. Das Letras )

Publicação de Humor
Pif Paf – Millôr Fernandes ( Salão Carioca )

Publicação de Terror
Dylan Dog ( Mithos )

Publicação de Tiras
Níquel Náusea – A perereca da vizinha ( Devir )

Publicação Independente
Mosh!

Publicação MIX
Mosh! ( Independente )

Publicação sobre quadrinhos
Wizard ( Panini )

Revista de aventura
Lobo Solitário ( Panini )

Revista Infantil
O menino maluquinho ( Globo )

Roteirista Estrangeiro
Ozamu Tesuka ( Buda )

Roteirista Nacional
Spacca

Salão de Humor
32º Salão Internacional de Humor de Piracicaba

Site de autor
Adão Iturusgarai ( www.adaoonline.com.br )

Site de quadrinhos
Nona Arte ( www.nonaarte.com.br )

Site sobre quadrinhos
Universo HQ ( www.universohq.com.br )

Tira Nacional
Piratas do Tiete – Laerte