Mais um FIQ

Credenciais do FIQ

Depois de uma semana sensacional no Festival de Quadrinhos de Belo Horizonte, fiquei tão cansado que mesmo voltando pra Osasco e dormindo todo dia até mais tarde ainda não consegui descansar completamente. Mas é uma canseira que valeu a pena.

Estou muito feliz com a boa repercussão que Acelera SP teve em Belo Horizonte. Apesar da história estar localizada em São Paulo, isso mostra que o desmonte do Estado e a apropriação privada daquilo que é público ė um problema generalizado.

Apesar de toda a pendenga que o FIQ sofreu com a falta de verba (correndo o risco até do evento acabar), no fim o adiamento por um ano e a mudança da data para o primeiro semestre acho que acabaram sendo benéficos.

Só é uma pena que o FIQ tenha acontecido no meio dessa crise de abastecimento. Acho que o evento foi um pouco prejudicado por isso. Mas ainda assim teve um bom público e as vendas foram satisfatórias.

Frequento o FIQ desde a edição de 2007, sempre com estande ou mesa, vendendo meus quadrinhos. E agora tive a experiencia de ser um dos convidados e participar de um debate, que foi magnífico. Agradeço a organização do FIQ por essa oportunidade.

Para mim, voltar ao FIQ como convidado ė muito simbólico, pois na edição anterior do evento em 2015 eu estava passando pela minha pior crise de reumatismo e achei que nunca mais iria conseguir frequentar eventos de quadrinhos novamente. Este FIQ pra mim foi um renascimento.

Mesmo não sendo o evento que eu vendo mais, o FIQ é meu evento preferido de quadrinhos e mora no meu coração. É possível sentir uma forte aura de afetividade e amor que emana das pessoas durante o evento e nos revitaliza. E então você entende porque escolheu essa vida de quadrinista.

Vida longa ao FIQ.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.