Relatório HQ & Cultura

No último sábado aconteceu no campus da Uninove Vergueiro o evento HQ & Cultura do qual eu e outros quadrinistas independentes fomos convidados a participar. Cheguei lá por volta da nove da manhã e me encontrei com o Harriot e com o Will pra montarmos a nossa bancada de fanzines e quadrinhos independentes.

Além dos meus fanzines, levei também os fanzines e quadrinhos que vendo lá na minha barraca na feira de artes e artesanato de Osasco. A esses títulos que eu levei, juntou-se o material dos quadrinistas independentes que lá estavam, fazendo com que nossa bancada ficasse com uma grande variedade de quadrinhos, de diversos estilos, gêneros e formatos, chamando muito a atenção do público presente no evento. Foi algo muito parecido com que já tínhamos feito no último Angelo Agostini.

O legal disso é ver que muito da minha ambição de unir os quadrinistas independentes está dando certo. Pois juntos fazemos muito mais barulho do que sozinhos, e assim, conseguimos nos fazer escutar pelos habitantes lá do mundo da superfície, como já havia expressado no editorial da Garagem Hermética Nº 1. Estamos saindo dos subterrâneos e conquistando o nosso espaço na superfície. E este é um movimento que tende a crescer cada vez mais.

No evento participamos também do debate O Fanzine e o Século 21. Basicamente foi um repeteco do debate que fizemos no dia anterior no Planeta Tela sobre Quadrinhos Independentes e Internet. O consenso a que se chegou é que a Internet e os meios digitais como um todo vieram pra facilitar em muito a vida do quadrinistas nas diversas etapas de produção de uma HQ, seja na parte da criação propriamente dita, ou na parte de venda, distribuição e divulgação da obra. Só não chegamos a um acordo com relação a validade comercial das webcomics no Brasil, mas esta é uma questão que só será respondida com o tempo. A minha opinião sobre o assunto, vocês já conhecem!

Enfim, foi um evento bem legal. O HQ & Cultura foi bem proveitoso para nós quadrinistas independentes e espero que tenha sido para o público também, que teve a oportunidade de conhecer uma grande variedade de quadrinhos que muitos nem mesmo sabiam que existiam, pois não é um material que possa ser encontrado nos lugares “habituais”. Aliás, só esse fato deles descobrirem que existe também quadrinhos de qualidade sendo produzido além do universo das bancas e das livrarias, já fez o evento valer a pena. E eu espero que essa consciência se propague cada vez mais entre o público leitor de quadrinhos. E se depender de nós, isso realmente irá acontecer.

Fiquem agora com algumas fotos do evento que foram tiradas pelo Gil Tókio, que é o quadrinista independente dono das piadas mais infames que já vi. Até mais do que as minhas. =)

E obrigado pelas fotos Gil!

Bancada de Fanzines
Nossa bancada de fanzines e quadrinhos independentes. Variedade de estilos, gêneros e formatos.

Público Leitor
O público do evento apreciando os quadrinhos da nossa bancada.

Tirando uma Soneca
Detalhe do Paulo Ramos do Blog dos Quadrinhos ao fundo prestando uma baita atenção no nosso debate. =)

Para conferir mais fotos do evento, visitem o meu álbum no flickr.

Deixe uma resposta