Bate Papo sobre Produção Independente na Monkix

Bate Papo e Lançamento na Monkix

No próximo dia oito de agosto acontece na loja Monkix o lançamento da revista Café Espacial nº 14, e junto haverá um bate papo com alguns quadrinistas que já colaboraram com a revista com o tema “Passado, Presente e Futuro da Produção Independente”.

E eu sou um desses quadrinistas convidados para esse bate papo, no qual pretendo falar sobre minha trajetória de 15 anos produzindo quadrinhos de forma independente, tanto impresso quanto digital. Além de mim, também farão parte desse bate papo André Diniz, Flavio Soares, Ebbios Lima, Eduardo Mendes, Sueli Mendes e Floreal Andrade.

Após o bate papo haverá uma sessão de autógrafos no qual irei autografar as minhas revistas em quadrinhos Homem-Grilo & Sideralman e Nova Hélade – Gigantomaquia.

O evento começa às 16h, e estão todos convidados.

O Fim do (Quarto) Mundo

Fim do Quarto Mundo.

Não faço mais parte do Quarto Mundo desde outubro de 2009. Uma série de fatores me levaram a sair do coletivo, mas o principal é que as funções que eu desempenhava lá dentro estavam me sobrecarregando, a ponto de não sobrar mais tempo hábil nem para minha produção pessoal. Dali pra frente continuei apenas ajudando o Quarto Mundo nas vendas dos quadrinhos em alguns eventos, mas já não tinha mais nenhuma relação na administração do grupo ou participação ativa dentro do coletivo.

O Quarto Mundo foi muito importante para o meu aprendizado como quadrinista, tanto pelo acertos, quanto pelos erros (os quais procuro não repetir no Petisco, o coletivo do qual agora faço parte). Não vejo seu fim como algo ruim, nem com tristeza, mas como uma jornada concluída.

A principal proposta do Quarto Mundo era ajudar a fortalecer um “mercado” de quadrinhos independentes que funcionasse em sinergia com o mainstream. E isso de fato aconteceu. A melhor amostra disso é o FIQ.

No primeiro FIQ que o Quarto Mundo participou, em 2007, havia, se não estou enganado, três estandes de quadrinhos independentes, sendo que um era o do Quarto Mundo, o outro o da Graffiti junto com outras publicações independentes de Belo Horizonte (e que mais tarde também iriam integrar o Quarto Mundo), e o terceiro era um estande reunindo a galera dos “Quadrinhos Dependentes” (mas ainda não com esse nome).

Já no último FIQ, de 2011, havia uns 10 estandes de grupos de quadrinistas independentes, e diversos outros que estavam com mesas, como foi o meu caso com o Petisco. Uma evolução e tanto, não?

Diante desse novo cenário, um grupo tão grande e com tantos membros como o Quarto Mundo (e que se tornou engessado justamente por seu tamanho) não faz mais sentido já que há diversos outros grupos ocupando o espaço nos eventos e alimentando a produção independente, como é o caso do próprio Petisco.

Ou seja, o Quarto Mundo pode ter acabado mas seus ideais continuam firmes e fortes em diversos outros coletivos independentes que continuam mantendo a produção de quadrinhos viva por todo Brasil, seja de forma impressa, ou online na Internet.

O Quarto Mundo está morto. Vida longa ao Quarto Mundo. =D

Parte da Revolução

Capa do livro A Revolução do Gibi de Paulo Ramos.

No dia 19 deste mês eu fui ao lançamento do novo livro do Paulo Ramos, A Revolução do Gibi – A Nova Cara dos Quadrinhos no Brasil, que aconteceu na Livraria HQMix (que saiu da Praça Roosevelt e agora está em novo endereço, ao lado da FAAP). Neste livro, Paulo Ramos faz uma compilação de alguns dos posts que ele publicou em seu Blog dos Quadrinhos.

A grande sacada do livro é a organização dos posts em capítulos temáticos (como super-heróis, mangás, adaptação literária, etc) e com o acréscimo de comentários posteriores que os contextualizam dentro do que estava acontecendo na época em que foram postados no blog. Deste modo, A Revolução do Gibi acaba se tornando um retrato bem completo do mercado de quadrinhos no Brasil na primeira década do século XXI.

E eu fico feliz de saber que sou um dos protagonistas desta “revolução”, tendo a minha ainda curta carreira de quadrinista registrada nesse livro, em especial no capítulo dedicado aos quadrinhos independentes. Lá é citado o meu trabalho com o Homem-Grilo, na revista Garagem Hermética, e como fundador do Quarto Mundo.

Aliás, o Paulo Ramos foi o primeiro jornalista a noticiar sobre o Quarto Mundo (antes mesmo da estreia oficial do coletivo), em uma reportagem para programa Metrópolis da TV Cultura. O Paulo, como bom jornalista, não fica esperando as notícias caírem no seu colo (ou fica apenas publicando release de editora). Ele vai atrás delas.

No período entre o fim de 2006 e começo de 2007, o Paulo estava quase sempre nos lançamentos independentes em São Paulo (a maioria acontecia lá na “Menor Livraria do Mundo” no “Jeremias, O Bar”, gerenciados pelo Gual e a Dani, e que depois viriam a abrir a Livraria HQMix). E por estar presente nos lançamentos, o Paulo acabou percebendo a “movimentação” que estava acontecendo entre os autores e grupos independentes e que iria culminar na fundação do Quarto Mundo.

Já vai fazer três anos que estou fora do Quarto Mundo (sai do coletivo em setembro de 2009). E por ter saído sem fazer estardalhaço, muita gente ainda pensa que faço parte do Quarto Mundo, e nem sabe que estou fora do coletivo há tanto tempo. Mas o período em que estive no Quarto Mundo foi de vital importância para a minha evolução como quadrinista. Aprendi muito, tanto com os acertos, e principalmente com o erros, os quais não pretendo voltar a cometer nos meus projetos seguintes.

Um deles, na verdade, já está em execução há um pouco mais de um ano, que é o Petisco. Assim como o Quarto Mundo, o Petisco também é um coletivo de quadrinistas, mas as semelhanças param por aí. Enquanto o foco do Quarto Mundo são os quadrinhos impressos, o foco do Petisco são os quadrinhos digitais (mas sem excluir também os impressos).

O Quarto Mundo é um coletivo aberto, em que qualquer um pode fazer parte e colaborar, mesmo se você ainda for um quadrinista iniciante, ou que ainda não tenha uma boa qualidade técnica (pois a ideia do Quarto Mundo é que, em contato com outros quadrinistas, trocando informações e vivenciando todas as funções da cadeia produtiva de um quadrinho, você possa evoluir e se aprimorar). o Petisco, por sua vez, é um coletivo fechado. Pretendemos abrir para novos integrantes em breve, mas ainda assim, não será algo aberto, e os candidatos ao Petisco terão que passar por uma avaliação técnica, artística e editorial.

Já meu outro projeto, e que ainda vai demorar mais um pouco pra virar realidade, será a minha editora. A ideia de criar uma editora, na verdade, será apenas para eu ter uma firma aberta pra conseguir viabilizar certas coisas que eu não consigo viabilizar como pessoa física, pois o processo de produção continuará no esquema independente, e sob a filosofia do “código aberto” e da cultura livre.

Bem, toda essa volta que dei foi na verdade pra dizer que, de minha parte, a “revolução” está apenas começando. Apesar de eu já publicar quadrinhos há 12 anos, ainda tenho uma longa estrada a trilhar, e muito ainda o que evoluir como quadrinista.

Mas estou otimista, e acredito que os próximos anos serão extremamente bons para o mercado de quadrinhos no Brasil, sobretudo para a produção nacional. E pretendo com certeza continuar sendo um dos personagem atuantes desta história.

E você?

Ps: O último episódio do excelente podcast Café com HQ contou com a minha participação, no qual eu falo sobre webcomics, direitos autorais, e diversos outros assuntos relacionados (ou não). Confere lá!

HQCon em Florianópolis

HQCon

No próximo sábado, dia 14 de agosto, será realizado o primeiro HQCon, no Floripa Music Hall (Rua Henrique Valgas, 40, Florianópolis/SC), das 10h às 19h. O evento contará com diversas palestras sobre quadrinhos e animação.

E eu estarei lá em Florianópolis participando de uma dessas palestras do HQCon, sobre Quadrinhos Autorais, ao lado de Daniel Esteves e Felipe Meyer e Pedro Franz. A minha ideia, além de falar sobre o que é quadrinho autoral propriamente dito, é abordar também temas correlatos como produção independente, webcomics, direitos autorais e creative commons.

Além disso, estaremos com uma banquinha vendendo diversos quadrinhos independentes, o que inclui alguns meus, como o Homem-Grilo, Garagem Hermética e Nova Hélade.

Então se você é de Florianópolis e curte histórias em quadrinhos, não perca o HQCon. Confira abaixo a programação completa do evento:

O Brasil no caminho das Animações – 10h até 11h 30min

Palestrantes:

AnimaKing – é hoje o maior estúdio de animação na área de stop-motion no Brasil, seu filme Minhocas é pioneiro no país ao utilizar a técnica stop-motion em longa-metragem.

Cafundó Estúdio Criativo – é um estúdio de design digital focado em motion graphics, animação, ilustração e soluções para novas mídias, estão participando do Anima Mundi 2010 na categoria portfolio com o filme “Jardim das Delícias”.

Quadrinhos autorais – 11h40 até 12h40.

Palestrantes:

Pedro Franz – quadrinista e designer gráfico autor da HQ “Promessas de amor a desconhecidos enquanto espero o fim do mundo”.

Cadu Simões – historiador e estudante de grego antigo, vencedor do HQMix como roteirista revelação e membro-fundador do coletivo de quadrinistas independentes Quarto Mundo.

Daniel Esteves – historiador e roteirista, vencedor dos prêmios HQMix e Angelo Agostini e professor de quadrinhos, diretor da escola HQ em Foco e membro do conselho do coletivo.

Felipe Meyer – publicitário, redator e roteirista de quadrinhos, editor do Jornal de Debates e indicado ao troféu HQMix pela revista independente Contos da madrugada.

Influências da história em quadrinhos na educação – 12h 50min até 13h 40min.

Palestrantes:

Clóvis Geyer – ex-chargista do Diário Catarinense, quadrinhista e professor do curso de Design da UFSC.

Erico Assis – colaborador do site Omelete e tradutor de HQ.

Diego Moreau – mestre em Ciência da Linguagem (História em Quadrinhos) e professor universitário na Estácio de Sá Santa Catarina.

Intervalo – 13h40 até 14h10

Show e Apresentações

HQ é Multimídia – 14h10 até 15h10.

Palestrantes:

Eddy Barrows – desenhista exclusivo da DC Comics (editora estadunidense de histórias em quadrinhos e mídia relacionada) desenhou Novos Titãs, Lanterna Verde e é o atual desenhista do Superman.

Erico Assis – colaborador do site Omelete e tradutor de HQ.

Gabriel Rocha – jornalista e fã de HQs desde antes de saber ler, autor do site Quadriteca.

Ricardo Jahn – publicitário, louco por HQ e colaborador de conteúdo do site Hagah.

Desfile Cosplay – 15h10 até as 16h

Concurso Cosplay + Show

HQ e Música – 16h até 17h

Palestrantes:

Mario Luiz C. Barroso – atual tradutor da linha de super-heróis da Panini Comics, jornalista, ex- editor da linha de super-heróis da editora Abril.

Rafael Soares Duarte – professor de Literatura formado em Letras pela FURG-RS é mestrando em Teoria da Literatura na UFSC, com pesquisa sobre Watchmen.

Daniel Soares Duarte – professor de Literatura formado em Letras pela FURG-RS é mestre em História da Literatura e doutorando em Teoria Literária.

Jam Session – 17h às 17h30min

Mario Luiz C. Barroso + Rafael Soares Duarte + Daniel Soares Duarte

De Maurício a Clark – Artistas Made in Brazil – 17h 30 min até 19h

Palestrantes:

Ricardo Manhães – desenhista, que atua no mercado europeu e um dos autores do álbum MSP + 50, segundo volume da homenagem ao cinquentenário de carreira do criador da Turma da Mônica.

Eddy Barrows – desenhista exclusivo da DC Comics (editora estadunidense de histórias em quadrinhos e mídia relacionada) desenhou Novos Titãs, Lanterna Verde e é o atual desenhista do Superman.

Erico Assis – colaborador do site Omelete e tradutor de HQ.

Mario Luiz C. Barroso – atual tradutor da linha de super-heróis da Panini Comics, jornalista, ex- editor da linha de super-heróis da editora Abril.

Apoio: Faculdade Estácio de Sá / Floripa Music Hall

Entrada: R$ 15,00 (sem fantasia) / R$ 10,00 (Cosplay) / R$ 12,00 Clube do Assinante

Feira de Quadrinhos Independentes na Virada Cultural

Feira de Quadrinhos Independentes

Nesse fim de semana acontece em São Paulo a Virada Cultural, e em frente a Livraria HQMIX (Praça Roosevelt 142) vai acontecer o Independence Day, uma feira de quadrinhos independentes. Serão mais de 20 barracas com diversos quadrinistas vendendo suas revistas em quadrinhos diretamente para o público.

E eu estarei entre eles, vendendo meus quadrinhos como o Homem-Grilo, Garagem Hermética, Nova Hélade, etc. Então essa é sua chance de comprar meus quadrinhos diretamente comigo, ou ir lá simplesmente para trocar uma idéia sobre coisas banais como o sentido de justiça na República de Platão. =)

E não é só isso. Na Praça Roosevelt estará acontecendo o “Dimensão Nerd”, uma série de evento relacionados ao universo nerd, como o próprio nome sugere. Confiram a programação abaixo.

PROGRAMAÇÃO (Começa Sábado 16:00 e termina Domingo 20:00)

19h30 – Chegada da Parada Cosplay

21h00 – Chegada da Parada Estelar

23h00 – Chegada da Parada Mágica e Medieval

01h00 – Chegada da Parada dos Monstros

Praça Pentagonal

18h00 – Animação do Palco Cosplay

Banda Olam Ein Sof às 18h30 e 14h

19h00 – Mesas de Rpg e Jogos de Tabuleiro

Apresentação Livre Medieval às 20h e 13h

21h45 – Ecos do Silêncio – Instituto Lohan

22h00 – Batalha de Sabres de Luz – Equipe Blades

00h00 – Live Action de Vampiro: a Máscara

09h00 – Apresentação Grupo Hednir

10h00 – Apresentação Conselho Steampunk

Teatro Cosplay às 11h e 15h

Apresentação Livre Cosplay às 21h e 12h

16h00 – Banda Agente Smith

17h00 – Banda Gaijin

Vão da Praça Roosevelt

18h00 – Abertura dos Stands Temáticos

22h00 – Início das Atividades dos Fã-Clubes

22h30 – Maratona Sci-Fi na Virada

23h00 – Grupo Conselho Branco

00h00 – Desfile de Fantasias

04h00 – Batalha de Sabres de Luz – Equipe Blades

Apresentação Grupo Hednir à 1h, 5h e 9h

07h00 – Mesas de Rpg e Jogos de Tabuleiro

10h00 – Apresentação de Jornada nas Estrelas

11h00 – Desfile Star Wars

13h00 – Batalha Campal Geral de Eva

Estacionamento

18h00 – Mesas de Rpg e Jogos de Tabuleiro

18h00 – Abertura das Exposições 24H – Estudio Melies – Estúdio Hard Replics – Mythos Editora – Devir Livraria – Editora JBC

18h00 – Abertura da Arena de Games

23h00 – Discotecagem Sci-Fi, Cartoon e Anime

08h00 – Exibição de Filmes Medievais